top of page

RESURRECTION CATHOLIC CHURCH

Seja bem vindo à Paróquia Ressurreição

Somos uma paróquia multicultural, dedicada a vivência da fé católica. Acreditamos que ao servir o próximo, estamos servindo a Deus. O nosso objetivo é estar cada vez mais unidos a Deus, buscando crescer em santidade pela adoração à Santíssima Trindade, partilha dos Sacramentos, apoio aos necessitados e acolhimento aos nossos visitantes. Fazemos parte da Diocese de Orlando. Nossa paróquia fica localizada em Winter Garden, cerca de 20 minutos ao norte da Disney.

Horário de atendimento do escritório paroquial:

De segunda a sexta-feira

[8:30-12:30 e 13:30-17:30]


Pároco: Padre Horécio Carlos Anklan, c.s.

Vigário Paroquial: Padre Vincenzo Ronchi, c.s. 

NOSSA HISTÓRIA

1 -  COMO TUDO COMEÇOU

      O ano de 2002 marca o início da história da missão brasileira em Orlando. Conforme o relato de Pe. Scaravelli, foi neste ano que Dom Norbert Dorsey convidou a Congregação dos Missionários de São Carlos (Escalabrinianos) para trabalhar com portugueses e brasileiros na dicocese de Orlando. Neste mesmo ano, o Padre William Ennis recebeu um pequeno grupo de brasileiros na paróquia de Holy Family. Padre Charles Deeney celebrava a missa mensalmente para a comunidade brasileira. No mês de julho de 2002, chegava a Orlando o padre Volmar Scaravelli.

      Assim, no dia 27 de julho, padre Scaravelli celebrou a primeira missa junto a comunidade brasileira na paróquia Holy family. Em sua primeira missa, padre Volmar contou com a presença de 73 pessoas, contando adultos e crianças. Em 8 de fevereiro de 2003, Dom Norbert Dorsey designou os padres escalabrinianos para a Paróquia  Ressurreição, em Winter Garden, FL.

          Desse modo, a comunidade brasileira que celebrava na paróquia Holy Family, passou a ser atendida na Paróquia Ressurreição, aos cuidados dos padres Escalabrinianos. As razões da mudança foram espaço e facilidades de horários celebrativos.  

         Desde sua fundação em 2002, a Comunidade Católica Brasileira de Orlando teve a honra de ser guiada pelo Padre Volmar Scaravelli (2002 a 2005), Padre German Vargas (2006), Padre Gelso Dadalt (2007), Padre Ademir Guerini (2008 a 2009) e Padre Jefferson Bariviera (2010 a 2011) e Padre Heitor Castoldi (2010 a 2011), Padre Moacir Balen (2011 a 2014). Desde 2014, nosso Pároco é o Padre Horécio Carlos Anklan e atualmente, nosso Vigário Paroquial é Padre Vincenzo Ronchi. Temos grande carinho por todos os padres que caminharam conosco durante esses anos, formando-nos e unindo-nos como comunidade em Cristo. 

2 - A REALIDADE DA MIGRAÇÃO   BRASILEIRA NA DIOCESE DE ORLANDO

          É difícil fazer um prognóstico exato do número de brasileiros na diocese de Orlando. Alguns falam em 20 mil e outros chegam a apontar um número beirando 50 mil brasileiros. A única certeza é que a região de Orlando possui um contínuo fluxo de imigrantes brasileiros de chegada, de ida a outras regiões e também de volta ao Brasil.

2.1 - A REALIDADE DOS CATÓLICOS EM ORLANDO

        A vida dura de imigrante, aliada a solidão e ao desespero muitas vezes espiritual e econômico tornam o imigrante católico um prato perfeito para o discurso alienante das ditas seitas pentecostais ou neo-pentecostais, que oferecem de tudo um pouco e ainda a forte ênfase na chamada teologia da prosperidade.

          Outro ponto importante e que vale a pena salientar são os católicos que participam de nossas comunidades. O primeiro ponto que salta aos olhos é que  uma grande parcela não tinha vida religiosa ativa no Brasil. Outro aspecto é a diversidade de imigrantes vindos de diferentes partes do Brasil. Isto muitas vezes acarreta um desafio dentro da comunidade, pois cada região do Brasil tem um tipo de se organizar como igreja. Todavia, o aspecto positivo disto é o envolvimento de nossos leigos nas atividades da igreja. Sem eles, as nossas atividades de evangelização e  celebrativas seriam impossíveis.

2.2 - A REALIDADE SOCIAL E ECONÔMICA

           Os imigrantes brasileiros em Orlando vivem uma profunda insegurança social causada pela indocumentação, não tendo neste sentido segurança sobre seu futuro aqui neste país. Outro aspecto é o excesso de trabalho. A grande maioria trabalha mais de  dez horas por dia. Aliado ao trabalho excessivo, surge nos últimos anos, devido à crise econômica, a falta de trabalho, gerando mais sofrimento e insegurança entre os imigrantes. A nostalgia de sua terra, onde aqui tudo é estranho como: costumes, língua, leis, cultura, etc.

          Outros aspectos também são importantes de serem salientados.  A falta de carteira de motorista é outro aspecto que tem afetado nossas comunidades. Muitos estão sem poder dirigir ou então, buscam caminhos tortuosos para consegui-la e daí tornam-se presa fácil de agiotas.  

 

3 - NOSSA AÇÃO PASTORAL

          Atualmente, na Diocese de Orlando, temos duas missas em português. Aos domingos, às 11:00 horas da manhã, na Paróquia Anunciação, em Altamonte Springs. A comunidade é relativamente pequena, formada por portugueses e brasileiros.

          Aos domingos, às 19:30 horas, temos missa na Paróquia Ressurreição em Winter Garden. Temos em média atual mais de 250 pessoas na Missa dominical. Existe a possibilidade de abrir novas frentes missionárias junto às comunidades brasileiras. Porém, para assumir novas missões será preciso reforçar nossa prática pastoral. Existem muitos católicos na região. O que falta é uma presença mais expressiva da Igreja Católica, para  além da assistência religiosa. Se faz necessário uma presença no campo social. Isto precisa ser tomado a sério pela Congregação dos Missionários de São Carlos conjuntamente com a Diocese de Orlando. Tendo o trabalho social no meio destes imigrantes, a face da Igreja ficará mais visível pelo povo migrante. 

3.1- FESTAS BRASILEIRAS

Realizamos festas brasileiras durante o ano:

 

• Festa junina: não poderia faltar essa festa tão popular no Brasil, onde são celebrados os chamados santos juninos (Santo Antônio, São João e São Pedro).

 

• Festa da independência, em setembro.

 

• Festa de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, em outubro.

bottom of page